CalendárioPortalInícioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Martinair pede 125 milhões por desastre com avião em 1992

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
basuca
Moderador
Moderador
avatar

Número de Mensagens : 1091
Idade : 67
Localização : Amadora
Data de inscrição : 25/02/2008

MensagemAssunto: Martinair pede 125 milhões por desastre com avião em 1992   Seg 08 Set 2008, 19:33

A companhia de aviação Martinair pede uma indemnização de 125 milhões de euros à Aeroportos de Portugal, alegando que esta empresa «não forneceu dados meteorológicos à tripulação» do avião acidentado em Faro em 1992, afirmou esta segunda-feira o advogado da transportadora, noticia a agência Lusa.

O acidente aéreo «podia ter sido evitado, se a Aeroportos de Portugal (ANA) tivesse fornecido indicações correctas à tripulação», explicou à Lusa o advogado que representa a Martinair, Manuel Magalhães e Silva, no intervalo da audiência que esta segunda-feira teve início no Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa, dezasseis anos depois do acidente.
Manuel Magalhães e Silva adiantou que os dados meteorológicos entregues anteriormente aos pilotos «não correspondiam aos ventos da pista onde o avião ia aterrar [pista 11]», mas sim «da pista 29, que excediam largamente a capacidade operacional do avião».
Testemunho de cientista norte-americano
Durante a parte da manhã, a Martinair chamou a primeira de sete testemunhas, John Mccarthy, um cientista norte-americano ligado aos fenómenos meteorológicos e investigador do acidente que ocorreu em Faro.
O cientista afirmou que, de acordo com os fenómenos meteorológicos verificados a 21 de Dezembro de 1992, data do desastre e àquela hora (8:33), a tripulação «não podia evitar o acidente, sem dados correctos», fornecidos pelos controladores de voo, explicando os valores de chuva, ventos, trovoadas, velocidades e outros fenómenos climatéricos registados.
O especialista explicou ao tribunal que «o fenómeno meteorológico verificado (Microburst - grande turbulência com ventos descendentes muito fortes) não foi transmitido à tripulação», conforme os registos das caixas negras, a que o cientista afirmou que teve acesso.
O estudioso norte-americano afirmou ainda que «o Microburst já foi responsável por vários acidentes aéreos em todo o mundo».
A Lusa falou com o advogado da ANA, José Alves Pereira, e o das seguradoras, José Drago, tendo ambos recusado fornecer «qualquer informação» sobre o desenrolar desta acção judicial e alegando que «não podem falar sobre este assunto».
O processo cujo julgamento teve início esta segunda-feira opõe a Martinair e as seguradoras da empresa contra a Aeroportos de Portugal e respectivas seguradoras, sendo julgado por um colectivo de três juízes, presidido pela juíza Guida Jorge.
54 mortos
O voo MP 495 da Martinair teve origem no Aeroporto de Amsterdão, no dia 21 de Dezembro de 1992, tendo levantado às 5:35 com destino ao Aeroporto de Faro, tendo o acidente ocorrido às 8:33, quando aterrava.
O aparelho DC 10 transportava 340 pessoas, 13 das quais tripulantes, tendo morrido no acidente em Faro 54 pessoas e causado mais de duas centenas de feridos.
O julgamento deste processo, que já conta com mais de 65 volumes, prossegue durante toda esta semana.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Martinair pede 125 milhões por desastre com avião em 1992
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Gears Of War 3 vende quase 2 milhões de cópias... Antes de ser lançado.
» Facebook conecta mais o forum pede para registrar.
» [Resolvido]Hotspot pede senha a cada 10 min
» Russo deita fora um milhão de dólares
» Como colocar uma janela registrar-se na home do fórum?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
sl300.sacafora :: Notícias Internacionais-
Ir para: